segunda-feira, 14 de maio de 2012

Algum dia de 2009


A vida passa e as pessoas mudam. As águas passam a correr para outra direção. Os ventos às vezes fortes, às vezes fracos, levando tudo aquilo que fomos deixando pelo caminho. Fragmentos de vida perdidos, algumas estrelas que caíram do bolso enquanto caminhávamos despercebidos e distraídos, que se perdem como ondas. Algumas pequenas lembranças que são pisadas ao caírem. Nada disso será encontrado novamente, mesmo que eu rasteje e busque em meio aos passos apressados – correndo o risco de ser esmagada também. As prioridades mudam, são substituídas por outras, não melhores, apenas mais convenientes. O egocentrismo prevalece, todos afogados em um grande mar de desdém. Vivendo de aparências, empurrando com a barriga. Fingindo que está tudo bem. A verdade é que estamos cansados, e isso tem que acabar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário